A gerência da porta 25 e a luta contra o spam

  • ddoneda - publicou em 21 de janeiro de 2011
As tentativas de combate ao fluxo de emails indesejados na Internet - o spam - já contam anos e abrangem diversas frontes, desde as tentativas de regulação por via legislativa, pela via judicial ou pela via técnica. O tema é de particular interesse no Brasil, que foi classificado como o país de cujos servidores parte o maior volume de spam no mundo em relatório divulgado pela CIsco em 2009 A forma mais promissora de combate ao spam pela via técnica parece ser a universalização da adoção de regras técnicas que limitem o acesso à chamada porta 25. À parte um maior detalhamento técnico, a adoção destas técnicas impede que um computador ligado à rede Internet seja utilizado para o envio de emails sem a autenticação de seu remetente. A situação, hoje, é a de que muitos computadores permitem o uso genérico da porta 25 para o envio de emails, o que possibilita que mensagens sejam enviadas sem a autenticação do remetente - fato que é aproveitado por aqueles que enviam spam e que, utilizando-se deste procedimento, podem permanecer incógnitos. As técnicas de gerenciamento da porta 25, que foram objeto de estudos e recomendadas pelo CGI.br em sua Resolução CGI.br/RES/2009/001/P, têm como objetivo bloquear este caminho aos spammers, que teriam somente a opção de enviar suas mensagens pela porta 587 - porta esta que exige autenticação e, portanto, permite o rastreamento do remetente e a tomada de diversas outras medidas para inibir a sua atuação. Aos usuários da Internet, os procedimentos de gerência da porta 25 não acarretariam absolutamente nenhuma perda da funcionalidade de suas conexões (desde que elas não sejam utilizadas para o envio de spam!), pois todo o procedimento de envio de emails continuaria o mesmo, porém autenticado através do uso da porta 587. A única mudança prática, do seu ponto de vista, seria a configuração da porta 587 para o envio de email - algo que diversos provedores de acesso já vêm realizando no Brasil. A adesão dos provedores de acesso e das operadoras de telecomunicações à proposta de gerência da porta 25 parece, ante as dificuldades de implementação de da escarsa eficácia do combate ao spam pelas vias técnica e jurídica, a via mais prática e eficiente para que o país regrida de sua indesejável posição de liderança nos índices mundiais de envio de spam, bem como pode tornar a experiência do usuário da internet no Brasil muito mas limpa e segura.