CGI.br anuncia acordo de cooperação para diminuir número de spams enviados por redes brasileiras

Iniciativa reúne Anatel, Ministério Público, órgãos de defesa do consumidor, SindiTelebrasil e associações de provedores de acesso e serviços na implementação de medidas para a Gerência de Porta 25 O Comitê Gestor da Internet no Brasil apresenta nesta quarta-feira, 23 de novembro, as medidas que fazem parte de um Acordo de Cooperação assinado pela Anatel, CGI.br, Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) e Associações de Provedores de Acesso e Serviços Internet, e apoiado pelo Ministério Público e órgãos de Defesa do Consumidor para a implementação da Gerência de Porta 25. Gerência de Porta 25 é o nome dado ao conjunto de políticas e tecnologias para implantar um sistema de redução de spams originados em redes domésticas do país. O Brasil tem sido historicamente classificado como um dos países com número alto de máquinas abusadas ou infectadas por códigos maliciosos que enviam mensagens não solicitadas. As medidas propostas pelo CGI.br são resultado de um intenso debate, iniciado em 2005 sobre um conjunto de políticas e padrões técnicos para uso em redes de usuários finais ou de caráter residencial, como forma de combate ao envio e recebimento de e-mails não solicitados e sua relação com a propagação de códigos maliciosos. Dentre outras descobertas dessas discussões, foi observado que uma grande maioria dos spams que utilizavam computadores brasileiros infectados como meio de disseminação tinham origem em alguns poucos países. De todo o volume de spams capturado pelo projeto Spampots, 97% foi originado em outros países. Além disso, 94% dos spams tinham como destino o exterior, não o Brasil. Nos últimos anos, o Brasil tem ocupado as primeiras posições entre os países com mais endereços IP listados em listas de bloqueios (blacklists). “Com a implementação das medidas propostas no Acordo de Cooperação, será possível retirar o Brasil do topo destas listas, garantindo mais segurança ao usuário final e um melhor aproveitamento da rede brasileira”, diz Henrique Faulhaber, conselheiro representante da indústria de bens de informática, de bens de telecomunicações e de software do CGI.br e coordenador do Projeto da Gerência de Porta 25. Segundo Faulhaber, a redução dos spams enviados por máquinas de usuários brasileiros será percebida em um curto espaço de tempo. “A proteção dos internautas brasileiros e a redução dos custos operacionais de empresas envolvidas no transporte de e-mails são alguns dos benefícios imediatos”, diz o conselheiro. As medidas garantirão um melhor aproveitamento da infraestrutura existente, já que o envio de spams é apontado como responsável pela maior demanda de recursos operacionais das redes. “O gerenciamento eficaz da Porta 25 certamente reduzirá o consumo de banda para envio de spam e vai melhorar as condições de utilização de nossas redes para acesso à internet”, diz Eduardo Levy, representante dos provedores de infraestrutura de telecomunicações no CGI.br. O acordo prevê um prazo de 12 meses - a partir  da indicação, pelos provedores de serviços de correio eletrônico, da migração de 90% de sua base de usuários para serviços que não se utilizem da Porta 25/TCP - para a implantação das medidas pelas operadoras de telecomunicações. O Acordo é um dos principais resultados dos trabalhos desenvolvidos ao longo dos últimos anos pelo CGI.br no âmbito de sua Comissão de Trabalho Anti-Spam. Essas atividades envolveram, além da própria Anatel, associações e provedores de serviço de correio eletrônico, prestadoras de serviços de telecomunicações e entidades de defesa do consumidor. Sobre o Comitê Gestor da Internet no Brasil – CGI.br O Comitê Gestor da Internet no Brasil coordena e integra todas as iniciativas de serviços Internet no país, promovendo a qualidade técnica, a inovação e a disseminação dos serviços ofertados. Mais informações em http://www.cgi.br/. *texto publicado pela assessoria de imprensa do CGI.br e reproduzido na íntegra.