Pesquisa do CETIC.br revela alta concentração do mercado de provedores de serviço de Internet no Brasil

O Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) do CGI.br apresentou, no dia 30 de novembro, os resultados da pesquisa sobre provedores de serviço de Internet no Brasil. O objetivo da pesquisa é construir um Cadastro Nacional de Provedores de Acesso à Internet de forma a oferecer uma visão ampla e geral do mercado de provimento de acesso no Brasil. A pesquisa traz dados interessantes sobre o acesso à Internet no Brasil. Existem 65 milhões de internautas; 95% dos municípios têm, pelo menos, um provedor de acesso e que 27% dos domicílios possuem acesso à Internet. No entanto, os principais dados da pesquisa apontam para um mercado altamente concentrado e não universalizado territorialmente. Há, aproximadamente 2.000 provedores de acesso à Internet no Brasil, porém, apenas seis empresas detêm 80% do mercado de provimento de acesso no país. Há uma disparidade regional marcante: 95% dos provedores atuam em apenas uma região do país. Apenas 1% dos provedores atua em território nacional. São 827 provedores apenas na região Sudeste, contra 453 na região sul, 429 no Nordeste e 129 no Norte e 212 no Centro Oeste, totalizando 17 milhões de conexões fixas em domicílios e empresas. Esses dados marcam uma relação importante entre indicadores econômicos e sociais e o número de provedores por região. Dada a alta concentração do mercado de provimento de acesso à Internet, a pesquisa do CETIC.br apontou como principal desafio a ser enfrentado para expandir o acesso à banda larga, o compartilhamento de infraestrutura - também conhecido como desagregamento de redes, ou unbundling, em inglês. Dessa forma, políticas públicas tais como a Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), e as normas referentes ao Plano Geral de Metas de Competição colocadas em consulta pública pela Anatel durante o mês de outubro, assim como a garantia da neutralidade de rede são cruciais para fomentar a competitividade no setor. A pesquisa foi estruturada com base nos temas prioritários da Agenda e-LAC 2016 e das Metas do Milênio da ONU, mapeando as tecnologias da informação e comunicação (TICs) utilizadas em domicílios, por crianças, na educação, em empresas e por provedores. Em auxilio a essas pesquisas estruturais, foram coletados dados sobre TICs utilizados em plataformas e-gov, lan houses e na web, com planos de para em 2012 serem coletados dados sobre terceiro setor, telecentros, banda larga e segurança. A apresentação da pesquisa pode ser acessada em: http://www.cetic.br/provedores/2010/apresentacao-tic-provedores-2010.pdf