Provedores Europeus bloqueiam VoIP e P2P

O órgão de regulação das telecomunicações da União Europeia - BEREC (Body of European Regulators for Eletronic Communications) apresentou um relatório preliminar sobre práticas de gestão de tráfego da Internet realizadas nos países membros da UE. O relatório preliminar demonstrou que as práticas mais frequentes de filtragem ou bloqueio na Internet tem como alvo serviços de compartilhamento de arquivos, tanto em redes móveis quanto em redes fixas, bem como serviços de voz sobre IP (VoIP) - tecnologia que permite serviços como Skype - principalmente em redes móveis. O relatório tabém descobriu que grande parte das filtragens e/ou bloqueios é realizada por meio do Deep Packet Inspection (DPI) uma tecnologia extramemente invasiva que permite analisar todos os dados que trafegam em uma rede. As informações reunidas pelo BEREC tiveram como base 250 linhas fixas e 150 operadores de tecnologia móvel europeus. Segundo o relatório, um quarto dessas empresas justificou suas medidas com base em práticas de segurança. O BEREC, por sua vez, define tais medidas como "técnicas de gerenciamento de tráfego". Especialistas do EurActiv entraram em contato com algumas empresas de telecomunicações europeias que preferiram não se manifestar. Para este grupo de especialistas, a principal explicação para tal fenômeno seria a maneira como as empresas de telecomunicação encontraram para enfrentar a competição com as plataformas online que oferecem serviços que rivalizam com seus produtos, tais como as ligações grátis entre usuários do Skype, na internet. Um representante do Skype em resposta à consulta do EurActiv, disse que “discriminação arbitrária de inovação na internet” e práticas contrárias às preferências do consumidor são correntes nos países da União Europeia. Para ele, portanto, o BEREC apenas confirma fatos que a empresa vem alertando há anos. Neelie Kroes, Comissária para Agenda Digital da União Europeia, em declaração oficial, solicitou ao BEREC que a coleta de dados seja ampla e que seja feita de uma forma que possibilite aos órgãos da União Europeia avaliarem se o consumidor realmente tem conhecimento dos serviços de telefonia e internet que contratam e quais são os impactos da filtragem e do bloqueio na escolha do consumidor e na qualidade do serviço que chega a ele. O resultado preliminar do BEREC também confirma os dados revelados pela campanha iniciada em 2011 pela plataforma online RespectMyNet.eu que recolheu dados e informações de cidadãos europeu a respeito da qualidade da conexão em diversas localidades e que obteve dados de cerca de 16 países europeus e 73 operadores - dados esses que serão apresentados à Comissão Europeia. Por meio desta plataforma, o indivíduo podia apontar o país em que estava, o provedor utilizado e o problema enfrentado e aqueles que experenciavam problemas semelhantes, com o mesmo provedor, podiam clicar no ícone “me too!” (eu também!). A França foi o país com o maior número de casos reportados. Alguns resultados do RespectMyNet.eu podem ser vistos aqui E a resposta do La Quadrature du Net ao BEREC que utilizou os dados do RespectMyNet.eu, pode ser vista aqui.