Regulamentada a utilização de redes sociais pela classe médica

O Conselho Federal de Medicina, ao prescrever em uma regulamentação as novas normas a serem observadas pelos médicos em relação à publicidade, abordou pela primeira vez a utilização das redes sociais pela categoria. As redes sociais, nesta regulamentação, foram abordadas ao se tratar da interação do médico com os meios de comunicação de massa. Não há restrições específicas à utilização das redes sociais, porém quando o médico delas fizer uso para a divulgação de assuntos médicos, aplicar-se-ão normas idênticas às que pautam a utilização dos demais meios de comunicação de massa. Uma das preocupações mais claras da nova resolução do CFM é em relação à garantia do atendimento pessoal pelo médico. Neste particular, as redes sociais, e a Internet de uma forma geral, propõem novos desafios à classe, dada a facilidade potencial de interação entre médico e paciente que proporciona. Neste sentido, é de particular interesse a vedação à classe de, em suas relações com a imprensa, na participação em eventos e no uso das redes sociais,
"consultar, diagnosticar ou prescrever por qualquer meio de comunicação de massa ou a distância"
O tema foi disciplinado pela Resolução nº 1.974/2011 (Publicada no Diário Oficial da União no dia 19 de agosto de 2011, Seção I, p.241-244)